Polícia francesa mata a tiros suspeito que planejava incendiar sinagoga em Rouen

ROUVEN, França (AP) – A polícia francesa matou a tiros um homem armado com uma faca e uma haste de metal suspeito de atear fogo a uma sinagoga na cidade de Rouen, na Normandia, na manhã de sexta-feira, o mais recente ato aparente de violência na tempestade. Anti-semitismo abala a França em meio à guerra Israel-Hamas

O corpo de bombeiros foi notificado na manhã de sexta-feira sobre o incêndio na sinagoga. Policiais destacados encontraram o homem no telhado do prédio, segurando uma barra de metal em uma mão e uma faca de cozinha na outra, enquanto a fumaça saía das janelas da sinagoga, disse o promotor de Rouen, Frédéric Deillet, em uma breve entrevista coletiva.

Ele disse que o homem era abusivo e jogou uma barra de metal na polícia antes de pular do telhado e correr contra um dos policiais que levantou a faca.

O policial disparou cinco vezes, atingindo o homem quatro vezes, ferindo-o mortalmente, disse o promotor. Ele disse que as autoridades estavam tentando verificar a identidade do homem. O advogado não respondeu a nenhuma pergunta.

O ministro do Interior, Gerald Dorman, postou em seu site de mídia social X que o homem “queria atear fogo à sinagoga da cidade”.

Felicitou os oficiais “pela sua capacidade de resposta e pela sua coragem”.

As tensões e a raiva estão aumentando na França Guerra Israel-Hamas. Atos anti-semitas subiram No país com a maior população judaica e muçulmana da Europa Ocidental.

O prefeito de Rouen, Nicolas Mayer-Rossignol, disse que o homem teria subido em um contêiner de lixo e jogado “uma espécie de coquetel molotov” na sinagoga, que pegou fogo e causou “danos significativos”.

“Quando a comunidade judaica é atacada, é um ataque à comunidade nacional, um ataque à França, um ataque a todos os cidadãos franceses”, disse ele.

READ  Um foguete SpaceX Falcon 9 é lançado no sul da Califórnia

“É um susto para toda a nação”, disse ele.

O primeiro-ministro francês, Gabriel Attal, disse que um aumento acentuado da atividade antissemita na França continuou este ano, após o ataque de 7 de outubro do Hamas a Israel.

Atal disse que as autoridades registaram 366 atos anti-semitas nos primeiros três meses de 2024, um aumento de 300% em relação ao mesmo período do ano passado. Mais de 1.200 atos antissemitas foram relatados nos últimos três meses de 2023 – três vezes mais do que em 2022, disse ele.

“Vemos uma explosão de ódio”, disse ele.

___

Leicester relatou de Paris.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *